Rota 343 Entrevista: Raquel, pré-candidata ao cargo de vereadora de Floriano

Hoje, nosso portal traz mais uma de uma série de entrevistas com pré-candidatos da eleição 2020.

Neste domingo (02), o Rota 343 traz mais uma entrevista do ‘Especial Eleições 2020’. Nos próximos finais de semana, traremos entrevistas com os pré-candidatos aos cargos de Prefeito e de Vereadores do município de Floriano (PI). Os participantes responderão as mesmas perguntas, com a finalidade de não haver favorecimento para nenhum dos pré-candidatos por parte de nosso portal.

A entrevistada desta semana é Raquel Cristina Porto da Rocha, de 27 anos. Natural de Floriano, ela é empresária e formada em Farmácia.

Confira abaixo a entrevista com Raquel Cristina, que será candidato ao cargo de vereadora, pelo Partido Progressista.

Rota 343 - Por que você decidiu se candidatar ao cargo de vereadora?

“Desde pequena eu sou uma pessoa bem comunicativa, gosto de trabalhar com o público, e eu senti o chamado das pessoas do bairro em que moro, que é o Campo Velho, que por muito tempo se viram na necessidade de um representante para lutar por suas demandas. Também, por ser uma pessoa que luta pelos seus ideais com muita determinação e perseverança, então decidi aceitar esse desafio para buscar as devidas melhorias e botar em prática as ideias que defendo na cidade de Floriano.”

Rota 343 - Que tipo de mudanças você acha mais urgente que ocorram em Floriano atualmente?

“É a maior participação de mulheres na Câmara Legislativa, e principalmente uma renovação que possa efetivar seus projetos. Manutenção e aprimoramento da infraestrutura, principalmente nos bairros periféricos, saneamento básico da nossa cidade, geração de emprego e renda, e também como sou profissional da saúde, vejo a necessidade de um acompanhamento multiprofissional para a promoção da saúde, principalmente ações voltadas para as nossas crianças e idosos, que precisam de uma atenção especial. Na educação também precisa-se de projetos que busquem o incentivo ao estudo das nossas crianças, tanto no setor físico quanto nas ferramentas de trabalho, principalmente nesse novo cenário que estamos passando, que é a pandemia do Covid-19.”

Rota 343 - Como você enxerga a situação do fomento do esporte na nossa cidade, considerando que há o Corisabbá na cidade, mas está apenas na Série B do Estadual?

“Eu vejo a necessidade de maior incentivo, tanto do poder público quanto da própria população. No setor público, em aumentar o fomento de recursos que gerem renda para os atletas, para que eles tenham a garantia de treinamentos e ferramentas para participarem de competições mais confiantes, trazendo quem sabe a Série A para o Corissabá. A população também precisa participar e entender a importância do esporte, pois ele é interligado diretamente com a cultura e a educação, ajudando com ações, eventos e divulgações.”

Rota 343 - Que tipo de medidas poderiam ser tomadas para a geração de emprego no município?

“No atual cenário que estamos vivendo, muito tem se falado em empreendedorismo jovem. Desta forma, oferecer mentorias, parceiras com o nosso município, aumentando a qualificação dos pequenos e microempreendedores. Também o aperfeiçoamento das ofertas de cursos profissionalizantes, que na prática gerem renda para a população da zona de risco, ou que por algum motivo não tiveram acesso à educação e emprego.”

Rota 343 - Você sabe quais são os postos de saúde em funcionamento em Floriano? E na questão de exames básicos, você acha que está satisfatório, atendendo as necessidades da população, ou considera que precisa de grande melhoria?

“Eu conheço a maioria, principalmente os próximos a mim. Todos estão em funcionamento, mas também tenho conhecimento das dificuldades que atrapalham o trabalho efetivo. Na zona rural existem postos que atendem, porém, algumas localidades ficam distantes das UBS, que na maioria das vezes não suprem as necessidades, principalmente pela falta de transporte para leva-los até a sede.”

Rota 343 - De que forma poderia acontecer o aproveitamento das águas do rio Parnaíba, considerando que temos nove meses sem chuva?

“Primeiramente, antes de falarmos de aproveitamento, deveríamos falar de revitalização, uma vez que o Rio Parnaíba está cada vez mais seco devido ao processo de assoreamento. Então, a medida mais simples que deveria ser tomada com a população e poder público seria o reflorestamento, por exemplo, de mata ciliar no leito do rio. E, principalmente, a conscientização do florianense, que contribui para o desgaste do rio ao jogar lixo e resíduos tóxicos.”

Rota 343 - O que poderia ser feito para contribuir de forma permanente e constante para o desenvolvimento das atividades rurais existentes em Floriano?

“Muito já progredimos a nível federal e municipal, pois temos o PNAE, que é o Programa Nacional de Alimentação Escolar, no qual se destina 3% do orçamento dos lanches na escola, exclusivamente para a agricultura familiar. Também é importante facilitar o acesso dos pequenos agricultores e firmar parcerias com empresas que prestem serviços de alimentação, como restaurantes e supermercados.”

Foto: DivulgaçãoRaquel Cristina, pré-candidata ao cargo de vereadora pelo Partido Progressista.
Raquel Cristina, pré-candidata ao cargo de vereadora pelo Partido Progressista.

Rota 343 - Que ações poderiam ser realizadas para melhorar os índices de educação das nossas escolas?

“É primordial a inserção da família, pais ou responsáveis, juntamente com a escola, auxiliando no processo educacional para que os pais participem com os professores da educação de seus filhos, através de projetos pedagógicos que incentivem a leitura, o esporte e a cultura. Também é preciso de reformas nas escolas públicas para maior conforto, assim aprimorando o aprendizado dos nossos alunos.”

Rota 343 - Como incentivar os alunos a gostarem de estudar, visto que hoje temos muitos atrativos eletrônicos, que muitas vezes afastam as crianças de livros, etc?

“A pandemia nos trouxe essa resposta. Aulas dinâmicas e inovadoras e, sobretudo, o apoio da família, que teve que acompanhar a educação do seu filho de perto. Conseguir aliar o conhecimento com a tecnologia não está sendo algo fácil nem para os pais, nem para os alunos e professores. Também sabemos da desigualdade de muitos alunos, que não possuem acesso a aparelhos eletrônicos e internet, principalmente os alunos da zona rural.”

Rota 343 - Você acha que o Mercado Central poderia atender a população de forma mais satisfatória?

“Sim, começando por uma reforma que valorizasse esse patrimônio florianense, além de criar um espaço mais funcional no aspecto de organização, iluminação, sanitização, assim sendo mais atrativo tanto para os comerciantes quanto para os clientes e visitantes da nossa cidade.”

Rota 343 - Você está por dentro da prestação de contas do município? Sabe no que o dinheiro da cidade está sendo investido?

“Eu procuro sempre me informar sobre as ações que estão sendo desenvolvidas na nossa cidade, principalmente por um canal acessível para todos os cidadãos, que é o Portal da Transparência. Lá vemos onde o dinheiro público está sendo aplicado na cidade.”

Rota 343 - O que você considera necessário para que um político faça um bom trabalho em seu cargo de prefeito/vereador?

“Primeiramente, ser acessível. Ouvir a demanda da população, conhecendo as necessidades que se encontram na cidade, contribuindo assim na elaboração de projetos que irão ajudar no crescimento e desenvolvimento da nossa cidade.”

O Rota 343 aproveitou a entrevista para falar sobre um assunto que, de certa forma, está se tornando polêmico: o novo coronavírus. A pandemia, que afeta Floriano e o restante do mundo, tem causado muitas opiniões divergentes, pois com ela, além da doença, outros problemas vieram à tona, como problemas econômicos. Confira as respostas da pré-candidata Raquel Cristina:

Rota 343 - Qual sua opinião sobre o fechamento do comércio?

“Para Floriano, que tem o comércio como atividade econômica principal, afetou muito a economia da cidade, também pela redução de funcionários. Porém, foi necessário o isolamento social, para mostrar para a população a importância do combate ao vírus. Com a reabertura do comércio, vimos que é possível, assim tomando as medidas preventivas necessárias para o combate ao vírus, como o uso da máscara, distanciamento social e uso do álcool gel, principalmente a conscientização para não formar aglomerações. Com reabertura do comércio vimos que é possivel funcionar, tomando as medidas necessarias no combate ao víirus, também uma organizacao no comércio em que não forme aglomerações, como, por exemplo, delivery, que seria uma boa opção, ou agendamentos que permitissem a entrada controlada de poucas pessoas no local ao mesmo tempo, mantendo o distânciamento."

Rota 343 - Qual sua opinião sobre o isolamento social?

“O isolamento social é o método mais eficaz no combate ao vírus, mas sabemos que a maioria da população de serviços essenciais e outros precisam sair de casa para exercer suas atividades, seus trabalhos, assim, terão que tomar todas as medidas necessárias para a prevenção do vírus.”

Rota 343 - Que tipo de medidas você tomaria para ajudar no combate a pandemia?

“Eu percebo que as pessoas estão agindo como se o vírus tivesse acabado, estivesse totalmente controlado, fazendo aglomerações. Então, a medida mais eficiente é o isolamento social, e quando necessário sair, utilizar todas as medidas eficazes no combate ao vírus, como máscara, distanciamento e higienização, principalmente das mãos.”

Rota 343 - Você sabe o montante a mais que Floriano recebeu para combater o coronavírus? Você percebeu o investimento desse valor?

“O valor total, desde que começou a pandemia até agora, eu não sei informar. Porém, no início, o município recebeu R$ 1,7 milhão, que eu acho que foi aplicado bem sim. Foi aplicado na reforma da UBS da Funasa de Floriano para receber os pacientes com Covid-19, foi contratado mais profissionais para atuarem, principalmente nessa área. Foi ampliado também o horário de atendimento, que inicia às 7h e vai até às 19h todos os dias de segunda-feira a sexta-feira na Funasa. Foi comprado equipamentos, EPIs para o trabalho, testes de Covid-19, construção de leitos, que saíram de 17 para 50 leitos. Também foi usado na sanitização da cidade, então eu creio que foi bem investido sim na causa do novo coronavírus. Também foi investido em exames, como tomografia, eletrocardiograma, aquisição de medicamentos com início dos sintomas, como a hidroxicloroquina e a azitromicina.”

Veja também:

Rota 343 Entrevista: Francisco, pré-candidato ao cargo de vereador de Floriano

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!