PF busca suspeitos de falsificarem documentos para obtenção de empréstimos

Criminosos usavam identidades de servidores públicos para conseguirem valores de forma ilegal.

Na manhã desta terça-feira (25), a Polícia Federal deflagrou uma operação que visa combater um grupo criminoso, suspeito de falsificar documentos para obter empréstimos consignados da Caixa Econômica Federal (CEF). Cinco pessoas são alvo da operação, realizada em Teresina (PI) e batizada de “Margem Livre”. As informações são do G1.

De acordo com a Polícia Federal, os suspeitos falsificavam documentos de servidores públicos, pois assim a margem existente nos contracheques facilitaria a obtenção dos empréstimos.

“Essa organização criminosa tinha acesso a contracheques de servidores públicos estaduais. Eles faziam um filtro, uma seleção daqueles que tivessem uma margem consignada maior e, com o uso de documentos falsos, obtinham junto à Caixa Econômica Federal e em benefício dessa organização criminosa os referidos empréstimos fraudulentos”, explicou a delegada Mariana Paranhos, superintendente da Polícia Federal do Piauí.

Segundo a delegada, a operação tem o objetivo de atingir os líderes da organização, pois são eles que tomavam as decisões dentro do grupo criminoso.

Até o momento, a Caixa Econômica já teve um prejuízo de, pelo menos, R$ 149 mil, devido a ação dos bandidos. As investigações da PF apontam que os criminosos já cometeram a fraude diversas vezes e que o prejuízo pode ser ainda maior, pois ainda falta a contabilização de alguns valores.

Os suspeitos podem responder pelos crimes de estelionato qualificado, falsificação de documentos, uso de documento público e privado e associação criminosa. Juntas, as penas podem chegar aos 19 anos de prisão.

Foto: Polícia FederalPolícia Federal realiza Operação Margem Livre, em Teresina.
Polícia Federal realiza Operação Margem Livre, em Teresina.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!