Vereadores fazem reunião para buscar formas de melhorar o Hospital Tibério Nunes

Objetivo da conversa foi entender as necessidades do hospital e buscar solução junto às autoridades.

Na manhã desta quinta-feira (11), vereadores de Floriano (PI) se reuniram com o diretor do Hospital Regional Tibério Nunes para tratar sobre problemas enfrentados pela unidade de saúde. Entre os assuntos debatidos estão a ocupação do hospital pela Covid-19 e a realização de cirurgias eletivas.

Na reunião estiveram presentes os vereadores Ancelmo Jorge, Carlos Eduardo e Daguia de Dona Bela, além do diretor do hospital, David Teles, e da assessora técnica, Heloisa. Durante a conversa, foram questionados algumas situações, a primeira delas em relação à Covid-19. O objetivo é entender as necessidades do hospital e, diante dessas informações, buscar soluções junto às autoridades para que a unidade receba melhorias e consiga atender as demandas da população de forma satisfatória.

Atualmente, cerca de 80% dos leitos do hospital que destinados para atender os pacientes com coronavírus estão ocupados, entre eles leitos de UTI e leitos clínicos. Ainda foi observado que, caso as obras da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) já estivessem prontas, poderia fazer cerca de 30 leitos Covid-19 no local. Segundo o diretor do hospital, o valor para a retomada desta reforma já foi repassado pelo Governo do Estado para a empresa responsável pela obra.

Outro ponto é a respeito das cirurgias eletivas. O vereador Ancelmo destaca que, apesar de haver um decreto estadual proibido a realização de cirurgias eletivas, muitos florianenses estão sofrendo com problemas que podem se agravar pela falta do procedimento cirurgico, principalmente as pacientes do sexo feminino.

Os vereadores ainda questionaram a respeito dos anestesistas que trabalham no hospital. De acordo com informações repassadas pelo diretor do hospital, muitas vezes cirurgias não podem ser realizadas pela falta desses profissionais. Mesmo tendo estrutura para a realização de vários procedimentos, a unidade de saúde conta, na maioria das vezes, com somente dois anestesistas. O diretor David Teles informou que a gestão dos anestesistas não é feita pelo hospital, mas sim pela Coopanest (Cooperativa de Anestesiologia), que é restrita à Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi). Com isso, acontece o acúmulo de cirurgias eletivas e, consequentemente, de pacientes no hospital.

Apesar da alta capacidade de realizar cirurgias no hospital - somente em 2020 foram realizadas 6.843 cirurgias -, os vereadores questionam o motivo do hospital não receber uma atenção maior por parte do Governo.

Ancelmo finalizou explicando que, um dos motivos dos vereadores terem se unido em busca de melhorias para o hospital, é o trabalho dos profissionais de saúde.

“Um dos motivos que nos levou a fazer essa defesa e esclarecimentos foi dar uma ajuda aos profissionais de saúde, que estão se dedicando a cada dia, a cada momento em salvar vidas. Queremos dar uma melhor qualidade de trabalho para essas pessoas”, declarou o vereador.

Foto: DivulgaçãoVereadores

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!