Venezuelano é identificado com malária ao chegar em Floriano

Paciente esteve em outros países da região amazônica como Suriname e Guiana.

A Secretaria de Saúde de Floriano, através da Diretoria de Vigilância Epidemiológica, notificou nesta semana um caso de malária. O problema foi identificado em um homem de 27 anos natural da Venezuela e que chegou a Floriano há duas semanas. Após apresentar sintomas da doença, o caso foi confirmado através de teste sorológico. O paciente recebeu atendimento e tratamento na Unidade Básica de Saúde mais próxima. Seu quadro de saúde é estável. 

Segundo a investigação epidemiológica, realizada com apoio da 10ª Regional de Saúde, o indivíduo esteve em outros países da região amazônica como Suriname e Guiana. Milessia Mousinho, Diretora Municipal de Epidemiologia, explica que não há registros da doença nas últimas décadas no município. "Agora, o paciente e família estão sendo monitorados pela UBS da região. Ele já iniciou o tratamento, através de medicamentos específicos e, com isso,  não há mais risco de contágio", disse. 

Francisco Alves, Diretor da 10ª Regional de Saúde de Floriano, disse que a notificação desse caso não é motivo para pânico ou alarde, pois a família do paciente e casas vizinhas estão sob o observação e monitoramento constante. 

O diretor de Vigilância Sanitária, Jussinaldo Duarte,  informou que sua equipe foi acionada para acompanhar o caso,  através de visitas,  orientações e entrega de repelentes. 

Zacarias de Freitas, do Departamento de Endemias da Regional de Saúde, explicou em reunião com a Secretaria de Saúde de Floriano, que a população pode ficar tranquila, pois a vida do mosquito transmissor (fêmea) é curta e a cadeia de transmissão muitíssimo baixa. "É um caso isolado e que foi trazido por esse paciente já de outras regiões amazônicas, visto que o mesmo é natural da Venezuela e já passou por outros países daquela região", pontou. 

Sintomas

Os sintomas da malária são: febre alta, calafrios, tremores, sudorese e dor de cabeça (que podem ocorrer de forma cíclica). Há pessoas que, antes de apresentarem tais manifestações, sentem náuseas, vômitos, cansaço e falta de apetite.

Transmissão

A malária é transmitida por meio da picada de fêmeas do mosquito Anopheles infectadas pelo protozoário Plasmodium. O período de incubação da malária varia de acordo com a espécie de plasmódio. A malária não pode ser transmitida pela água.

Prevenção

Entre as principais medidas de prevenção individual da malária estão: o uso de mosquiteiros, roupas que protejam pernas e braços, telas em portas e janelas e uso de repelentes.

Por outro lado, as medidas de prevenção coletiva contra a malária são borrifação intradomiciliar, uso de mosquiteiros, drenagem, pequenas obras de saneamento para eliminação de criadouros do vetor, aterro, limpeza das margens dos criadouros, modificação do fluxo da água, controle da vegetação aquática, melhoramento da moradia e das condições de trabalho e uso racional da terra.

Saiba mais sobre:

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!