Teresina receberá 30 pacientes da Covid-19 vindos de Manaus

Pacientes serão atendidos no Hospital Universitário da UFPI.

O Piauí irá receber 30 pacientes com Covid-19 vindos de Manaus. A informação foi divulgada pelo presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque, nesta quinta-feira (14). A capital amazonense vive um colapso no sistema de saúde e, por isso, precisará enviar pacientes para outros estados.

Segundo o governador do Amazonas, Wilson Lima, além do Piauí, os pacientes serão levados para hospitais de Goiás, Maranhão, Brasília, Paraíba e Rio Grande do Norte. No mês de janeiro, o estado teve um número recorde de internações desde o início da pandemia.

A chegada dos pacientes estava prevista para às 18h. Segundo o presidente da FMS, todos os pacientes vindos de Manaus serão atendidos no Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (UFPI). No local, há 50 leitos disponíveis e somente oito ocupados.

De acordo com a FMS, os leitos livres são o suficiente para atender os pacientes de Manaus e também para atender a demanda local. A federação ainda informou que 11 ambulâncias foram disponibilizadas para fazer o transporte dos pacientes.

“Os pacientes são clínicos. Faremos a triagem deles ainda dentro do avião para analisarmos o quadro de saúde antes de realizarmos o transporte. Já organizamos a logística de recebimentos dos pacientes. Ambulâncias avançadas, equipe de triagem, oxigênio, máscaras, cadeiras de rodas, apoio de transporte. O Hospital Universitário irá receber os pacientes”, disse Gilberto ao G1.

O diretor do Hospital Universitário, Paulo Márcio Nunes, informou que a unidade de saúde está com 30 leitos clínicos preparados para receber os pacientes, além de 20 leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

“O Hospital Universitário está pronto para receber os pacientes que vem de Manaus, que são cidadãos brasileiros, que têm pais, mães, filhos, e que estão nesse momento sem poder receber oxigênio”, declarou ao G1.

Profissionais protestam contra a transferência

Assim que souberam da vinda dos pacientes de Manaus, enfermeiros do Hospital Universitário realizaram um pequeno protesto diante da situação. Segundo eles, faltam profissinais e equipamentos de proteção individual. Eles ainda reclamaram que não foram avisados ou preparados para receber os pacientes de outro estado.

“Os profissionais estão preocupados, há o risco de contaminação não só dos profissionais que ainda não foram acometidos, mas ter uma forma diferente de afetar principalmente os grupos de risco que já retornaram ao trabalho. Também não temos informações se há equipamentos de proteção individual em quantidade suficiente para todos os profissionais. O sindicato se preocupa porque perder a vida de um profissional, esse prejuízo, só se pode lamentar, não irá trazer o profissional de volta e nem proteger sua família”, disse Erick Ricelly, presidente do sindicato dos enfermeiros do Piauí (Senatepi), ao G1.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!