Rússia anuncia registro da primeira vacina contra o novo coronavírus

Apesar do anúncio, produto está sendo questionado por não ter dados específicos divulgados.

Na manhã desta terça-feira (11), o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou que o país é o primeiro a registrar uma vacina contra o novo coronavírus. Apesar do anúncio, o produto vem sendo questionado por especialistas internacionais.

“Esta manhã uma vacina contra o novo coronavírus foi registrada pela primeira vez no mundo”, declarou o chefe do Kremlin durante uma reunião com o Gabinete de Ministros.

De acordo com a agência de notícias Reuters, a vacina russa receberá o nome de Sputnik V, em alusão à corrida espacial da Guerra Fria entre União Soviética e EUA. A previsão é de que a vacinação no país comece em outubro, de forma gratuita.

Até o momento, a Rússia não publicou nenhum estudo ou dado específico sobre os testes que realizou com o produto. Portanto, os detalhes sobre as fases do processo são desconhecidas. Mesmo com o “mistério” envolvendo a vacina, o presidente russo afirma que ela é eficaz e que passou em todos os testes necessários, permitindo assim uma “imunidade estável” contra a Covid-19.

Segundo agências internacionais, uma das filhas de Vladimir Putin, inclusive, já tomou a vacina. Apesar da informação, não se sabe qual das duas filhas do presidente teriam se imunizado com o produto.

De acordo com a BBC, a vacina russa foi desenvolvida por cientistas do Centro Nacional de Investigação de Epidemiologia e Microbiologia (Gamaleya), juntamente com o Ministério da Defesa. Em junho, o ministério divulgou que a conclusão dos testes em voluntários do hospital militar Burdenko foi “bem-sucedida”.

Por causa da falta de informações, não sabe-se quantas pessoas foram submetidas aos testes, detalhes sobre os voluntários, quanto tempo duraria a resposta imune ou o tipo de imunidade fornecido pela vacina.

Parceria com o Brasil

No último dia 24, o Governo do Paraná anunciou que estudava fazer uma parceria com o governo russo para produzir a vacina. Um comunicado informou que o embaixador russo no Brasil, Sergey Skopov e Guto Silva, chefe da Casa Civil paranaense, se reuniram em Brasília para tratar do assunto.

“Tivemos a aprovação do embaixador e agora os protocolos de acordo serão preparados pelas equipes do Paraná e da Rússia. Em seguida, será agendada uma reunião dele com o governador Carlos Massa Ratinho Junior para a finalização dessa parceria, que pode incluir, ainda, a produção de medicamentos para a doença”, informou Guto Silva.

Saiba mais sobre:

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!