Profissionais da saúde suspendem greve após decisão do TJ-PI

Presidente do Senatepi, Erick Ricelly, disse que a categoria deve recorrer da decisão judicial.

Após proibição do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-PI), os profissionais da área da saúde decidiram suspender a greve, iniciada na última quinta-feira (25).

Além da decisão judicial, o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde (Sindespi) e o Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos em Enfermagem (Senatepi) levaram em conta o decreto de isolamento social, que determina um ‘lockdown’ parcial neste fim de semana. Com isso, realizar uma assembleia geral não seria possível.

Ao portal de notícias G1, o presidente do Senatepi, Erick Ricelly, disse que a categoria deve recorrer da decisão do TJ-PI.

 “Nós suspendemos nesse primeiro, mas vamos nos organizar em um momento posterior. O objetivo maior foi chamar a atenção para nossa causa que está muito crítica. Mas, trata-se de uma decisão judicial, apesar de nós termos recorrido, nós vamos acatar”, declarou.

Reivindicações

A categoria, formada por enfermeiros e técnicos em enfermagem, reivindica o pagamento de 40% pelo adicional de insalubridade, melhor qualidade dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) fornecidos pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) e o cumprimento de acordos firmados na greve realizada no ano passado, referentes aos reajustes salariais acumulados desde 2012.

A decisão de iniciar a greve foi tomada na última sexta-feira (19), durante assembleia com integrantes do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde Pública do Piauí (Sindespi) e do Sindicato dos Enfermeiros, Auxiliares e Técnicos em Enfermagem do Estado do Piauí (Senatepi).

Além disso, os profissionais querem o cumprimento da Lei Estadual 6.201/2012, que dispõe sobre o Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos dos Profissionais de Saúde Pública da Administração.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!