Homem foge de abordagem da PRF, leva dois tiros e morre no hospital

Pedreiro seguia pela contramão da BR-316 quando desobedeceu uma ordem de parada e foi baleado.

Manhã da última quarta-feira (03), um pedreiro identificado como Joilson Pereira, de 39 anos, morreu após ser baleado por um agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O policial disparou contra o homem depois que ele fugiu de uma abordagem na noite de terça-feira (02).

Segundo o portal Cidades na Net, o pedreiro seguia de moto pela lateral da BR-316, na contramão, quando se deparou com uma viatura da PRF na altura do bairro Bomba. Ele então tentou fugir, mas acabou sendo atingido por dois tiros, disparados por um agente. Joilson foi socorrido e encaminhado ao Hospital Regional Justino Luz, com um grave ferimento.

Raimunda, esposa de Joilson, conta que foi avisada sobre o marido estar no hospital por volta da meia-noite. Ao chegar na unidade de saúde, ele já estava recebendo atendimento.

"Conversei com ele até na hora que ele se acabou. Me ligaram umas 00h40 para ir ao hospital. Quando cheguei, mandaram eu aguardar que estavam atendendo ele. Ele me disse que foi uma covardia. Disse assim: 'Foi a polícia PRF que fez uma covardia comigo, Raimunda'. Ele nunca teve passagem pela polícia. A moto era dele, ainda estava pagando e está em dia, o documento está aqui para quem quiser ver. Ele era um homem honesto, trabalhador. Estava vindo do trabalho lá em Bocaina", disse a viúva.

O casal, que estava junto há oito anos, não tinha filhos. A mulher comenta sobre a ação da PRF.

"Os policiais disseram que iam conversar comigo, mas não foram. Por mais que ele estivesse na contramão, que tomassem a moto dele, mas não deveriam ter matado ele. Preferia que tivessem prendido ele, pois ele teria voltado para mim. Ia ter prazer em visitar ele na cadeia, porque saberia que ele estaria vivo. E agora não está mais", declarou Raimunda.

Enquanto esteve com o marido no hospital, a esposa conversou com Joilson. Ela revelou parte da conversa e disse que ele pressentiu que iria morrer.

"O tempo todo ele esteve sangrando muito pelo buraco nas costas. Imaginaram ser apenas uma perfuração que bateu nas costas e saiu no braço. Ele gritava muito de dor. 'Raimunda, eu estou morrendo. Estou sentindo uma dor muito grande em mim', dizia ele. Quando foram ver, ele já estava morrendo. Ai fizeram um raio-x e viram que eram duas balas. Colocaram no balão de oxigênio, mas ele não resistiu mais", afirmou a viúva.

Em nota, a Polícia Rodoviária Federal lamentou o ocorido e informou que irá apurar os procedimentos usados pelos agentes.

"A Polícia Rodoviária Federal (PRF) lamenta o desfecho da ocorrência policial registrada na noite desta terça-feira (02), na BR-316, em Picos/PI, que resultou no óbito do condutor da motocicleta envolvida na ação. A Polícia Rodoviária Federal informa que as circunstâncias e procedimentos adotados na ação policial serão apuradas pelo órgão e reafirma seu zelo na proteção da vida de toda sociedade, nela incluída seus agentes. A ocorrência foi encaminhada para a Polícia Federal, em Teresina/PI."

Foto: Cidades na NetPedreiro conduzia moto pela contramão quando foi atingido pelos tiros.
Pedreiro conduzia moto pela contramão quando foi atingido pelos tiros.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!