Funcionários do Lacen-PI fazem manifestação por não receberem vacina da Covid-19

Mesmo atuando diretamente com o vírus, profissionais ficaram de fora da lista prioritária.

Nesta terça-feira (19), funcionários do Lacen-PI (Laboratório Central de Saúde Pública do Piauí) fizeram uma manifestação por ficarem fora da primeira fase de vacinação contra a Covid-19. As primeiras doses do imunizante chegaram ao estado nesta segunda-feira (18). As informações são do G1.

Ao G1, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) informou que os profissionais não entraram na primeira fase da campanha de vacinação devido ao número limitado de vacinas recebidas. Por conta disso, a prioridade será imunizar quem trabalha diretamente com pacientes infectados pelo vírus.

Porém, a presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde do Estado do Piauí (Sindespi), Geane Sousa, questionou a decisão, visto que os trabalhadores do Lacen, apesar de não lidarem com os pacientes, possuem contato direto com o vírus durante as coletas e análises.

“Eles dizem serem para aqueles que lidam diretamente com o paciente. Mas, no laboratório central, está sendo feita a coleta. O próprio farmacêutico lida com a cepa. Na minha opinião, do mesmo jeito que eles são essenciais para desempenhar suas atividades, eles deveriam ser prioridade na hora da vacinação”, declarou.

“Desde que começou a pandemia, o Lacen, em nenhum momento, abandonou as suas atividades. Tem funcionário que, nesse período, ficou até 24 horas revezando. Em nenhum momento eles não deixaram as atividades. Tão tal que naquele momento que não tinha EPI, os funcionários se organizaram e compraram os equipamentos”, complementou Geane.

Além do sindicato, o Conselho Estadual de Farmácia também enviou uma solicitação à FMS para que os profissionais da área sejam inclusos na lista de prioridades.

Em nota, a FMS explicou a situação.

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) informa que, em função da pouca quantidade de doses recebidas nesta primeira remessa da vacina contra a covid-19, traçou uma estratégia para imunizar grupos de maior vulnerabilidade e profissionais que atuam nos cuidados com pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Os demais profissionais de saúde, inclusive funcionários de laboratórios, clínicas e outros estabelecimentos públicos e privados, serão inclusos em etapas posteriores.

Foto: Divulgação /SindespiFuncionários do Lacen-PI fazem protesto após ficarem de fora da primeira fase da vacinação contra a Covid-19
Funcionários do Lacen-PI fazem protesto após ficarem de fora da primeira fase da vacinação contra a Covid-19

Primeira fase da vacinação

De acordo com o Ministério da Saúde, na primeira fase da campanha de vacinação contra a Covid-19, 30.580 piauienses serão imunizados. Fazem parte do grupo prioritário os profissionais de saúde (com prioridade para quem atua na linha de frente do coronavírus), pessoas em abrigos com mais de 60 anos, pessoas com deficiência em abrigos com mais de 18 anos e indígenas vivendo em terras demarcadas.

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), ainda não há vacina suficiente para todos que se enquadram nos grupos citados anteriormente. Segundo a secretaria, somente 34% dos profissionais de saúde receberão o imunizante nesta primeira etapa.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!