Deputado apresenta propostas econômicas para manter auxílio emergencial

Segundo Merlong, é possível garantir sobrevivência de famílias mais pobres criando novos recursos.

O deputado federal Merlong Solano (PT) discursou em sessão da Câmara dos Deputados, nesta quinta-feira (04), sobre a situação econômica do País. O parlamentar, que também é economista, falou sobre a urgência da retomada do auxílio emergencial no valor de 600 reais para socorrer as famílias e incentivar a atividade econômica, além da criação de mecanismos para compensar o aumento da dívida pública. 

De acordo com Merlong, é possível garantir a sobrevivência das famílias mais pobres criando novas fontes de recursos, com a regulamentação do imposto sobre grandes fortunas; o fim da isenção sobre a distribuição de lucros e dividendos; e a criação de uma contribuição emergencial que incida sobre os super ricos. 

Merlong considera um erro tentar fazer o ajuste fiscal reduzindo gastos. "Isso está na contramão do que o mundo todo está fazendo, incluindo os países do capitalismo central, como os Estados Unidos. Na hora da crise, o Governo tem que tomar a dianteira, ter iniciativa, gerar confiança para que a iniciativa privada volte a investir no País", frisou.

Auxílio

Segundo estudo do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas, sem auxílio emergencial, 63 milhões de brasileiros passarão a viver abaixo da linha da pobreza. "Eu me sinto como num pesadelo de uma noite que parece não ter fim. De um lado, a economia ladeira abaixo, aumentando milhões de desempregados, criando milhões de desalentados, reduzindo fortemente o consumo das famílias. De outro lado, a pandemia lotando os hospitais e os cemitérios, rumando para mais de 2 mil pessoas mortas por dia. E o Governo sem tomar uma atitude concreta, com a vacinação seguindo a passos lentos", lamentou.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!