Compositora Maria da Inglaterra morre aos 81, em Teresina

Artista foi vítima de uma doença renal crônica aguda.

Morreu, na noite desta quinta-feira (07), a compositora Maria da Inglaterra, aos 81 anos, vítima de uma doença renal crônica aguda. A piauiense era um ícone para a cultura do estado.

Maria da Inglaterra estava internada no Hospital de Urgência de Teresina (HUT) desde a última segunda-feira (04). A morte da compositora foi confirmada pela assessoria de imprensa do hospital e pelo produtor cultural José Dantas, ex-empresário da artista e também amigo da família.

No começo da semana, Maria da Inglaterra foi levada para uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Teresina, com um quadro de diarreia. Ela recebeu atendimento e foi hidratada com soro, mas não havia melhora em seu quadro de saúde.

"Os médicos constataram que havia um problema renal e foi para o HUT. Fizeram exames e constataram que os rins estavam comprometidos. Foram fazer uma hemodiálise, mas o quadro se agravou", relatou José Dantas.

Não há informações sobre o velório da compositora.

Foto: Ellyo Teixeira/G1Maria da Inglaterra

Carreira

A carreira de Maria Luiza dos Santos e Silva, a Maria da Inglaterra, começou aos 26 anos. Em 2013, durante uma entrevista ao G1, ela revelou que decidiu ser artista após ter uma visão, um chamado que dizia “Maria, vamos cantar”.

Desde então, ela iniciou sua carreira musical e não parou mais. Sem saber ler ou escrever, ela conseguiu compor mais de 2 mil músicas, entre elas o hit “O Peru Rodou”.

"Sou uma mulher guerreira, nunca me escorei em nada. Venci tudo. Sofri fome, necessidade, junto com meu marido e meus filhos. Eu não sabia ler, andava com papel debaixo do braço para saber onde se registrava música. A vida me ensinou muita coisa, quero levar isso quando ir, se Deus quiser", declarou Maria da Inglaterra, em 2013, durante a entrevista.

Maria subiu ao palco pela primeira vez em 1973, no Festival Universitário, que aconteceu no Teatro da Arena, em Teresina. A partir de então, ela passou a fazer sucesso, participando de diversos projetos musicais.

Quando completou 77 anos, Maria da Inglaterra teve sua carreira contada em um DVD, intitulado “Maria entre amigos”.

Patrimônio da cultura piauiense

Um dos responsáveis pela carreira de Maria da Inglaterra, José Dantas diz que a morte da compositora deixa um vazio na cultura piauiense.

"Era um patrimônio vivo da nossa cultura, da nossa música de raiz, da música mais regional. Temos poucas referências, e a Maria era uma referência muito diferenciada”, disse José Dantas.

"Uma analfabeta que não sabia nem ler e escrever e fez canções, se tornou uma artista, se projetou no Brasil com suas músicas (...) É uma perda irreparável, dimensionar essa perda não dá", relatou.

Saiba mais sobre:

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!