Black Friday: Como evitar que as promoções da data se tornem uma "black fraude"

O consumidor deve estar atento para que não se torne uma vítima de falsos descontos.

Nesta sexta-feira (27) acontece a Black Friday, dia em que empresários e lojistas concedem bons descontos aos consumidores, em diversos setores da economia. Muitas pessoas aproveitam a data para adquirirem itens que precisam ou desejam por um baixo preço e economizarem. Porém, não é atoa que a data é chamada também de “black fraude”. Os consumidores precisam ficar alerta para evitar caírem em golpes!

Uma pesquisa realizada pela empresa Conversion, especializada em SEO para negócios digitais, apontou que, neste ano, 75% dos consumidores pretendem realizar as compras através da internet.

Uma das fraudes mais aplicadas durante a data é a maquiagem de preço. Neste golpe, o vendedor aumenta o preço dos produtos cerca de 30 dias antes da Black Friday e, na data, aplica um desconto, voltando ao preço inicial. Com isso, o cliente acredita ter ganho um desconto, mas na verdade ele pagou o valor normal (e as vezes até mais caro!).

Para saber se o produto está com descontou real ou não, o consumidor tem a opção de acompanhar os preços cerca de um mês antes das promoções. Caso o acompanhamento não seja possível, a Proteste disponibiliza em seu site um plugin, que após instalado, faz o levantamento de quanto o produto custava.

Outro ponto que os consumidores precisam prestar atenção é quanto ao valor do frete. Há casos em que o comerciante oferece um grande desconto no produto, mas aumenta o valor da entrega, para compensar a redução. A prática enganosa é ilegal e a empresa que a praticar pode ser multada por isso.

Também existem os casos em que o produto é anunciado por um valor e, na hora de finalizar a compra, o valor é outro. A prática é considerada gravíssima, pois o preço deve se manter desde o início até o fim da compra.

Os consumidores que se sentirem lesados com alguma compra devem procurar o Procon da cidade e realizarem uma reclamação.

É importante destacar aos consumidores que a informação transmitida aos consumidores (seja por meio de publicidade, embalagens e até mesmo declarações dos vendedores) se torna uma espécie de “contrato”. Isso garante que o consumidor possa exigir a compra pelo valor ofertado. Se isso não acontecer, o consumidor deve procurar o Procon, ou se preferir, entrar com uma ação nos Juizados Especiais Cíveis.

Além do Procon, os consumidores podem pesquisar a respeito de reclamações sobre a loja e registrarem reclamações nos sitesReclame Aqui e o site Consumidor, sendo este último criado pela Secretaria Nacional do Consumidor.

Foto: Rock ContentBlack Friday

Qual a origem da Black Friday?

A Black Friday foi criada nos EUA e acontece todos os anos, na sexta-feira após o feriado de Ação de Graças - que acontece na 4ª quinta-feira do mês de novembro.

A ação foi criada pelo mercado, para ofertar descontos especiais para as pessoas, com alguns produtos chegando a 80% de redução no preço.

No Brasil, a “tradição” passou a ser adotada pelos comerciantes em 2010. Mas, ao contrário das vendas nos EUA, as promoções brasileiras possuem fama de serem enganosas, visto que poucos são os descontos identificados facilmente como reais.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!