Assis Cipriano diz que “nem roubar podia”, pois tinha “vergonha” de assessor

Ex-prefeito deu declaração polêmica durante convenção, se referindo ao candidato a vice-prefeito.

Depois do ex-prefeito de Cocal assumir que roubou durante sua gestão, agora foi a vez do ex-prefeito e candidato à eleição de Santo Antônio de Lisboa (PI), Assis Cipriano (PSB), ser o protagonista de declarações polêmicas durante uma convenção do partido. No último domingo (13), ele declarou que “nem roubar podia”, pois tinha “vergonha” de assessor com quem trabalhava.

Assis Cipriano iniciou sua fala elogiando Antônio de Quincas, assessor e seu candidato a vice na chapa. Porém, o que seria um discurso para ser elogiado, acabou virando polêmica.

“Antônio de Quincas foi um dos homens mais honestos que eu vi na minha vida. Botei ele pra trabalhar comigo lá, muito bom, mas depois nem roubar eu podia, porque tinha vergonha dele”, declarou o candidato. “Eu tinha [vergonha]. Eu era obrigado a ser [honesto] também. Se eu roubasse nessa prefeitura de Santo Antônio de Lisboa...”

Neste momento, a fala do candidato foi interrompida por um homem, que diz a Assis “Fale esse nome não”. O ex-prefeito não entende e questiona algumas vezes “Como é?” e também se está sendo gravado. Em seguida, ele prossegue com seu discurso.

“Se eu roubasse em Santo Antônio de Lisboa, deviam era me matar, degolar, porque um homem nascido de pais simples, pessoas simples, meus avós simples, e ter graças a Deus o que eu tenho hoje, eu vim para a prefeitura de Santo Antônio, e roubar, eu mereço ser degolado”, diz o candidato.

Assis Cipriano foi prefeito de Santo Antônio de Lisboa duas vezes, sendo eleito em 2008 e 2012. Ele chegou a ser preso em 2009, durante a operação Monte Erimanto, da Polícia Civil, por porte ilegal de arma de fogo, sendo solto após o pagamento da fiança.

Políticos polêmicos

Antes de Assis Cipriano, outro ex-prefeito foi infeliz em seu discurso durante convenção partidária. No dia 6 de setembro, o ex-prefeito José Maria Monção, que governou a cidade de Cocal, admitiu ter roubado durante sua gestão.

“Fui prefeito três vezes, sei do sofrimento. Mas também não roubei o tanto que esse aí roubou, não. Esse é descarado, está afundando Cocal”, afirmou José Monção. Ele continuou sua fala dizendo que a maioria dos políticos que rouba, faz isso pensando nos pobres.

“Eu posso até ter tirado alguma coisa, dado aos pobres. Que na verdade ninguém pode ser tão sincero. Se eu tivesse sido tão direto, eu não tinha ido preso, né. Se eu fui preso, tem um motivo. O político que rouba, rouba para dar para o povo. É difícil o cara roubar para si. Agora esse daí não, roubou para ele. A maior mansão da cidade de Cocal é a dele.”

A fala do ex-prefeito aconteceu durante seu discurso em apoio à candidatura de Cristiano Brito, que disputará as eleições pelo MDB. Após a declaração, o político foi expulso do partido.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!