Alunos do Piauí se destacam em olimpíadas científicas nacionais

Estudantes conquistaram diversas medalhas no ano de 2019.

As Olimpíadas Científicas estimulam os jovens de escolas públicas e privadas a participarem de avaliações em várias áreas do conhecimento, como Matemática, Língua Portuguesa, Ciências, Química, Física, Biologia, História, Geografia, Astronomia, entre outras. Competições como a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), Olimpíada Nacional de História do Brasil e concursos de Redações, como o da Corregedoria Geral da União, movimentam as escolas públicas estaduais do Piauí com seus alunos obtendo ótimos resultados.

Na edição de 2019, os estudantes das escolas piauienses conquistaram entre ouros, pratas e bronzes, 237 medalhas na Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG) e 1.314 medalhas na OBA. Dentre os inúmeros destaques pertencentes à Secretaria de Estado da Educação (Seduc), podemos citar o Patronato Irmãos Dantas, de Piracuruca, que conquistou três medalhas de ouro, 12 de prata e 46 de bronze; e o Patronato Nossa Senhora de Lourdes, de Campo Maior, que obteve 46 medalhas de ouro, nove de prata e outras nove de bronze.

A Unidade Escolar Alberto Leal Nunes, localizada no município de Regeneração, vem incentivando uma maior participação dos estudantes em olimpíadas escolares. A equipe gestora do colégio iniciou o projeto Circuito Olímpico, voltado ao auxílio dos estudantes na resolução dos problemas de forma interessante e divertida sem o caráter competitivo, comumente empregado às Olimpíadas.

O diretor da escola, Ismael Dantas, ressalta que o projeto tem como foco ampliar a participação dos alunos em olimpíadas científicas e concursos, além das tradicionais de Matemática e de Língua Portuguesa. “A proposta é fazer com que nossos alunos tenham contato com as mais diversas olimpíadas e para isto a escola também participa com o plano de mobilização envolvendo toda a comunidade. Os professores de Língua Portuguesa vão trabalhar oficinas de escrita e leitura para as produções e, este ano, já estão inscritos no concurso Canguru de Matemática todos os alunos da sede e anexo, um total de 319 alunos”, esclarece o diretor.

Foto: Governo do PiauíAlunos

Os estudantes das escolas da rede estadual conquistaram na 15ª OBMEP um total de 40 medalhas, sendo quatro ouros, 15 pratas e 21 bronzes, além de 291 certificados de menção honrosa entre os níveis 1, 2 e 3 da competição. O último certame foi disputado em 2019. Em 2020, a OBMEP foi adiada devido à pandemia.

A escola Augustinho Brandão foi destaque na competição, conquistando as quatro medalhas de ouro nos três níveis entre as 13 escolas da rede estadual com alunos premiados. No nível 1, o ouro foi para o estudante Iago de Brito Vieira; o segundo ouro, no nível 2, ficou com Edgard Junio da Silva Viana; e os estudantes Savio Vinicius Costa do Amaral e Vanessa Barreto de Brito conquistaram as medalhas de ouro no nível 3.

“Esta foi a minha primeira medalha de matemática e fiquei muito feliz por ganhá-la, pois me dediquei muito nos últimos meses. Eu já via os outros alunos ganhando e neste ano me preparei aproveitando todas as aulas que a escola realizava. Mesmo com as aulas, eu estudava em casa os exercícios das provas passadas, assistindo vídeos de como resolver questões e treinei a forma correta de fazer a prova. Tudo isto me ajudou a ganhar a medalha”, explicou Iago Vieira.

O secretário de Estado da Educação, Ellen Gera, observa que, além dos estudantes e professores participantes receberem certificados de participação, concorrerem a medalhas em nível estadual, nacional e participação em competições internacionais, essas olimpíadas, mais do que tudo, proporcionam uma série de novas descobertas, ideais e técnicas durante cada etapa das provas.

Foto: AlunosGoverno do Piauí

“As olimpíadas são muito desafiadoras e permitem aos estudantes se aprofundarem em uma matéria do seu interesse. Além disso, independentemente dos resultados, todos recebem certificados de participação para já compor seus currículos. Algumas universidades públicas como a Unicamp também destinam vagas em suas graduações para premiados em olimpíadas. Por isso, a Seduc e o Governo do Piauí apoiam incondicionalmente esse tipo de atividade”, completa o secretário.

Outras competições como Parlamento Jovem, Expo-Sciences, Olimpíada Nacional de Ciências, Feira Brasileira de Ciências e Engenharia e os mais diversos concursos espalhados pelo Brasil e o mundo atraem os estudantes piauienses, levando-os a romper novas fronteiras e mostrar o potencial e comprometimento com a educação do povo do Piauí.

Divulgue seu negócio e venha fazer sucesso junto com o Rota343. Clique aqui e entre em contato conosco!

Gostou? Compartilhe!